Muitas vezes compramos produtos que não vamos utilizar ou que não são necessário para o nosso dia-a-dia

5 Produtos para não comprar

Muitas vezes compramos produtos que não vamos utilizar ou que não são necessário para o nosso dia-a-dia



Produtos para não comprar

O consumismo está cada vez mais acelerado entre as pessoas. A internet fez com que as compras se tornassem mais fáceis e cômodas. Sem falara na febre dos sites de compra coletiva que prometem descontos incríveis de até 90% em diversos produtos e serviços.

Às vezes, sem pensar, compramos muito e até mais do que necessitamos. Quem nunca gastou uma nota com roupas, calçados, acessórios e outros itens, e nunca utilizou? Existem até bazares feitos justamente para aqueles que possuem objetos que não são usados para trocarem por outros produtos.


Separamos uma lista feita pelo site UOL com alguns produtos que nós não precisamos comprar ou que adquirimos muito mais por impulso do que por necessidade.

O que não se deve comprar?

Protetor Solar

A maioria das farmácias e drogarias colocam os preços dos FPS, com fator acima de 30, lá nas alturas. Saiba que o FPS 15 bloqueia 96% dos raios ultravioletas e o de 30, até 98%. Os fatores mais altos oferecem proteção de 99%, o que não faz muita diferença.



Aparelho de DVD

Não está valendo a pena comprar o aparelho de DVD, já que o Blu-ray caiu de preço e oferece uma tecnologia muito mais avançada. De janeiro de 2010 até julho de 2011, os novos aparelhos caíram de R$ 686 para R$ 501, em média, segundo a consultoria GFK. Podemos encontrar aparelhos por até R$ 300 reais, dependendo da região. Os Blu-ray também rodam DVD.

Desodorante redutor de pelos

Esse tipo de produto reduz os pelos das axilas, mas num período mínimo de 30 dias. Se você compra e para de usar, o efeito não será eficaz. Muitos fabricantes não informam isso nas embalagens dos produtos.

Produtos piratas

Já ouviu falar que o barato pode sair caro? Produtos piratas, apesar dos valores mais baixos, pode ter uma qualidade bem inferior dos produtos originais, durando pouco tempo. Além disso, alguns podem oferecer risco até mesmo a saúde do consumidor, como por exemplo, os óculos falsos que podem prejudicar a visão, já que os raios solares não são bloqueados de fato.


Alimentos com Ômega 3

Hoje encontramos no mercado uma variedade imensa de produtos ricos em Ômega 3. Segundo o nutrólogo e cardiologista Daniel Magnoni, as únicas pessoas que precisam de reforço de Ômega 3 são as que sofrem de problemas cardiovasculares, deficiência imunológica ou de coagulação. Ou seja, se você não tem nenhuma dessas doenças, não há necessidade de comprar estes alimentos, que são vendidos por um peço elevado nos supermercados.

FONTE: UOL