Para quem se alimenta fora de casa, os aumentos no preço do almoço, café da manhã e no lanche, doeram no bolso em 2011

Alimentação fora de casa ficou mais cara

Para quem se alimenta fora de casa, os aumentos no preço do almoço, café da manhã e no lanche, doeram no bolso em 2011



Comer fora de casa

Se você almoça fora e casa todos os dias, saiba que este hábito está cada vez mais caro. A alimentação ficou 11,09% mais cara nos últimos 12 meses, superando a alta dos preços dos alimentos e bebidas em geral, que foi de 10,29%.

Uma das bebidas mais queridas pelos brasileiros obteve uma alta espantosa. O cafezinho ficou 13,37% mais caro. A menor porcentagem foi a dos doces, cujo preço foi  elevado 8,34%.


Esses números são resultado de uma pesquisa do IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), divulgados nesta terça-feira (20), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Se considerarmos os preços somente no mês de setembro, o consumidor que se alimenta fora de casa está desembolsando 0,43% a mais do que no mês anterior.  Se você toma o café da manhã fora de casa, o bolsou doeu mais ainda, com um peso de 0,8% a mais. Em seguida, vem o lanche da tarde, com alta de 0,669% para o consumidor e o consumo de bebida alcóolica, que foi para 0,55%.



Nos estados

Veja uma tabela que mostra quais são os estados brasileiros que sofrem com as refeições fora de casa (Tabela feita de janeiro à setembro de 2011):

Variação do custo da alimentação fora do domicílio

Capital

Setembro

Acumulado do ano

12 meses

Rio de Janeiro 0,16% 5,97% 9,80%
Porto Alegre 0,47% 8,90% 11,97%
Belo Horizonte 0,02% 6,34% 10,43%
Recife 0,57% 9,38% 12,92%
São Paulo 0,43% 6,49% 10,02%
Distrito Federal 0,61% 8,07% 11,36%
Belém 0,53% 5,60% 8,04%
Fortaleza 0,39% 8,37% 12,93%
Salvador 0,49% 8,11% 12,89%
Curitiba 1,04% 10,44% 16,24%
Goiânia 0,97% 8,05% 10,47%
Nacional 0,43% 7,22% 11%
Fonte: IBGE

E dentro e casa?

Segundo a pesquisa, comer dentro de casa também ficou mais caro. As refeições no domicilio ficaram mais caras para os cariocas. O Rio de Janeiro é a capital onde os preços da alimentação subiram mais, com alta acumulada em 12 meses, em 11,06%. A média nacional é de 9,91%.

Nos meses entre janeiro e setembro, a alimentação em casa subiu 2,74%, com destaque mais uma vez para o Rio, onde o aumento foi de 5,60%.


FONTE: UOL