Conheça as causas desta doença que atinge boa os homens de 15 a 50 anos de idade; o preconceito é a maior barreira para o tratamento

Câncer de Testículo

Conheça as causas desta doença que atinge boa os homens de 15 a 50 anos de idade; o preconceito é a maior barreira para o tratamento

Câncer de Testículo

De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de testículo é um dos casos mais frequentes. Muitos acham que esse tipo de doença só atinge os homens mais experientes, mas não é isso que os especialistas dizem. Os índices podem ocorrer a partir dos 15 anos, até os 50. Dentre os tumores malignos, 5% ocorrem nos testículos.

Os médicos alegam que  a doença vêm crescendo entre os homens, pois eles não costumam realizar prevenções como as mulheres. A maioria das meninas, a partir dos 11 anos, que é a idade normal para o início da menstruação, já começam a frenquentar o médico todo ano.

Riscos

Se você possui histórico familiar desta doença, lesões e traumas na bolsa escotral e a criptorquidia, você tem grandes chances de desenvolver a doença. “Deve-se fica atento à alterações como o aumento ou diminuição no tamanho dos testículos, dor imprecisa no abdômen inferior, sangue na urina e aumento ou sensibilidade dos mamilos”, explica o urologista do Instituto do Câncer de São Paulo e do Hospital Sírio Libanês, Dr. Daher Chade.

Detecção precoce

Chamado também de screening, para se detectar um câncer precoce, o médico avaliará qual grupo de pessoas corre mais risco de desenvolver um tipo específico de câncer por causa de sua história familiar, ou por alguma outra doença causada por hábitos como os do tabaco, bebida alcoólica e dietas ricas em gordura. Esses são alguns fatores de riscos que podem indicar o desenvolvimento da doença.

Qual teste é feito para constatar o câncer de próstata?

A maioria dos cânceres de testículo pode ser diagnosticada pela própria pessoa, ao apalpar o nódulo ou o aumento em um dos dois testículos. Ás vezes, essas alterações são detectadas pelo exame físico feito pelo médico. Isso ainda é um obstáculo para os homens que, por preconceito e puro machismo, se recusam a realizar o exame. Esse tipo de tumor é bem raro, mas pode ser curado mesmo quando a doença já atinge um nível avançado.

Como é feito o exame?

  • Inspeção – Examinando a bolsa escrotal para ver se tem algum abaulamento na pele ou retração
  • Palpação – Apalpando a pele, os próprios testículos e o epidídimo (canal que liga o testículo ao pênis), procurando se há algo anormal no tamanho dos testículos, algum edema ou nódulo (endurecimento anormal de alguma porção do testículo).

Tratamento

Sabendo como o câncer está se desenvolvendo, seu médico poderá optar pelo melhor tratamento. Vejam quais são os métodos mais eficazes:

  • Quimioterapia
  • Radioterapia
  • Hormonoterapia
  • Observação Vigilante (também denominada Conduta ou Terapia Expectante)
  • Cirurgia