Coma induzido - O que é e como funciona?

O coma induzido é um estado de sedação no qual o paciente é submetido através da administração de remédios farmacológicos com a finalidade de manter a segurança e bem-estar do paciente, que tenha por exemplo sofrido um forte trauma no crânio ou está sofrendo de uma forte pneumonia.

Atualizado em

Coma Induzido

O coma induzido são termos bastante conhecidos em nossa sociedade, expressão que é bastante utilizada em mídias para relatar o estado de uma pessoa, entretanto, o que se nota é que pouco se sabe sobre do que realmente se trata o coma induzido, pois se associa a essa composição de termos algo bastante similar ao coma, o que não deve ser feito, pois existem suas peculiaridades e significativas diferenças.

O que é?

O coma induzido é um processo em que o paciente é submetido a uma sedação farmacológica controlada, ou seja,  ele é levado a um estado de inconsciência provocado de forma proposital pela equipe médica fazendo-se de uso de drogas sedativas.

Existem ainda pessoas que acham que o cérebro é de certa forma desligado através do coma induzido, fato que é um total absurdo, pois apesar da inconsciência do paciente, provocado pelo coma induzido, as outras funções corporais estão bastante ativas graças as funções do cérebro, portanto, se ocorresse um desligamento do cérebro o paciente viria a óbito.

Como funciona

O paciente recebe uma sedação via a utilização de remédios farmacológicos pela a equipe médica competente, levando o paciente a um estado de sedação, esta sedação do paciente pode estar indicada em várias situações. O coma induzido em geral apresenta as seguintes funcionalidades:

• Manter a segurança e o bem-estar do paciente.
• Minimizar a dor física e desconforto.
• Controlar a ansiedade, minimizar o trauma psicológico e induzir amnésia.
• Acalmar o paciente e tornar a realização de procedimentos segura.

Em geral, o uso da sedação se dá por uma necessidade de ventilação mecânica. Existe o uso de aparelhos chamados de respiradores artificiais, aplicados em casos em que o paciente não é capaz de manter boas oxigenações de forma natural. Essa necessidade se dá normalmente em casos de pneumonias graves ou em  fortes traumatismos cranianos, como no recente caso de Pedro, filho do cantor Leonardo.

Quanto tempo dura o Coma Induzido?

Este tendo de duração vai depender de paciente para paciente. Existem aquelas que acordam após poucas horas, já outros podem demorar até dias para acordar, isto é muito relativo

Existem alguns fatores que influenciam no tempo que o paciente leva para acordar, entre eles estão:

  • Quando o paciente é idoso
  • Sofre de alguma lesão no sistema nervoso central
  • Pacientes que estão com alguma insuficiência renal
  • Drogas sedativas ministradas por tempo prolongado
  • Drogas sedativas ministradas em altas dosagens
  • Pacientes que esteja com algum tipo de doença grave ou ainda múltiplas doenças

Também é importante lembrar, que existem situações em que alguns pacientes possam talvez nunca acordar, devido a grave lesão cerebral, como graves traumatismos cranianos, AVC com intensidade hemorrágica e ainda uma parada cardiovascular de longa duração.

A pessoa em Coma Induzido pode Escutar seus familiares?

Esta é uma dúvida recorrente para este tipo de situação, pois os familiares sentem necessidade de dar algum apoio ou incentivo ao paciente através de suas palavras, e gostariam que elas fossem escutadas. Existem casos que é possível sim que o paciente em coma induzido possa escutar vozes, porém vai depender muito do grau de sedação deste paciente, pois como foi dito anteriormente, a dose de sedação vai variar, podendo ser mais branda ou um pouco mais forte. Em casos em que a sedação é branda o paciente poderá sim escutar sons superficiais e até distinguir vozes, entretanto tais drogas farmacológicas geram efeitos colaterais como a amnésia, ou seja, é bem provável que mesmo que após o paciente sair do estado de coma induzido não se lembre do que tenha escutado e se realmente escutou algo.

Já para os pacientes em que são ministradas altas doses de sedativos, é muito pouco provável, quase impossível que ele possa distinguir vozes, pois o paciente é levado a um verdadeiro estado de inconsciência.