Greve dos Policíais na Bahia

"Não há greve”, segundo diretor de comunicação da Polícia Militar da Bahia, confira mais sobre a greve e a sua negação por parte do comando geral.

Atualizado em
Greve dos Policíais na Bahia
Em reunião na assembleia na tarde de terça-feira (31 de janeira) policiais militares da Bahia decidiram entrar em estado de greve. Segundo a Associação de Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra), existe uma reivindicação por parta da categoria do cumprimento da lei 7.145 de 1997, com pagamento da gratificação por atividade policial (chamada GAP 5), incorporação da gratificação ao salário, regulamentação do pagamento de auxílio acidente e adicionais de periculosidade e insalubridade.

Segundo a entidade, existe uma recusa por parte do governo emacatar o que prevê a legislação, bem como os pleitos da categoria, o que inclui ainda o cumprimento da lei da anistia e a criação do código de ética e de uma comissão para discutir o plano de carreira dos PMs. De acordo com a entidade, os policiais baianos recebem o salário base, equivalente ao salário mínimo e a GAP 3, que somam mensalmente cerca de R$ 2.300.O atual governador do Estado, Jaques Wagner, acompanha a presidente da República, Dilma Rousseff, em viagem a Cuba ao mesmo tempo que ocorre o movimento.

Greve é Desconhecida por Comando

Apesar da movimentação dos policiais, o comando da PM afirma, porém, desconhecer a decisão dos policiais e pede à população que mantenha a calma porque o policialmento ostensivo se mantém nas ruas. “Os homens do turno das 19h já estão em suas funções e está tudo dentro da normalidade", afirmou o coronel Gilson Santiago.

Declaração do Comandante Geral

Em nota oficial, o comandante geral da PM, Alfredo Braga de Castro, afirmou que "as propostas da categoria estão sendo discutidas com o Alto Comando da Corporação e com a participação direta das associações legais e legitimamente constituídas”.
A nota diz ainda que as "providências estão sendo tomadas junto ao governo do Estado para implementação das ações de Segurança Pública, além de melhorias das condições de trabalho, não só no que diz respeito às questões salariais, mas também através de equipamentos como a aquisição de viaturas e tudo o mais necessário ao desempenho da atividade policial".

Invasão

Neste início de noite, após o encerramento da assembleia, um grupo de policiais se encaminhou para o Centro Administrativo da Bahia –CAB, e promoveu a invasão do prédio da Assembleia Legislativa.
De lá, eles pretendem fazer outra manifestação na governadoria. "Só sairemos quando formos recebidos pelo vice governador Otto Alencar”, disse Fábio Brito, diretor jurídico da associação.

PM reforça Negação  a Greve

O diretor de comunicação da Polícia Militar da Bahia, Gilson Santiago, voltou a negar, nesta noite, que os policiais da corporação estejam com as atividades paralisadas. "Não há greve”, declarou, afirmando que todas as unidades estão seguindo a rotina. Em nova nota oficial, Santiago explica que o objetivo da associação dos policiais é "causar intranquilidade" na população.Ele informou que participaria de nova reunião, agora à noite, com o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, e o secretário de Comunicação, Robinson Almeida. Santiago credita a iniciativa da entidade a uma insatisfação com a maneira que as negociações entre PM e governo se desenrolam.