Foi em 7 de setembro de 1822 que D. Pedro declarou a Independência do Brasil. Essa foi a data que marcou o fim do domínio de Portugal sobre nosso país.

Independência do Brasil

Foi em 7 de setembro de 1822 que D. Pedro declarou a Independência do Brasil. Essa foi a data que marcou o fim do domínio de Portugal sobre nosso país.



A data de 7 de setembro é marcante para nossa nação, foi nela que em 1822 foi declarada a Independência do Brasil. Essa data marcou o fim do domínio de Portugal, e a conquista do poder político.

Após receber uma carta de Portugal, exigindo seu retorno, D. Pedro respondeu um não, e declarou: “Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico”. Os planos de Portugal eram recolonizar o Brasil, mas com D. Pedro no país isso não era possível.


Depois disso D. Pedro iniciou o processo de independência, organizando a Marinha de Guerra, enviou de volta ao reino as tropas de Portugal, e disse também que nenhuma lei de Portugal seria vigente aqui, sem sua aprovação. Além de incentivar para que o povo lutasse pela independência.

Foi então que em 7 de setembro de 1822 ocorreu o “Grito do Ipiranga”, onde às margens do rio Ipiranga (atualmente cidade de São Paulo), Dom Pedro de Alcântara de Bragança, então Príncipe Regente do Brasil, e futuro imperador Dom Pedro I, disse: “Independência ou Morte!”.



[youtube]DOQsM-7Icpo[/youtube]

Pós Independência

Os primeiros países a reconhecer a independência do Brasil foram o México e os Estados Unidos. Portugal pediu ao Brasil um pagamento de 2 milhões de libras esterlinas para que concedesse a independência, com um empréstimo pego com a Inglaterra, D. Pedro I pagou e tornou de vez o Brasil independente de Portugal.

Bandeira Brasil Império – Primeira bandeira após a independência

Apesar desses fatos terem sido um marco histórico de grande importância, a grande parte do povo daquela época não entendeu ou acompanhou o significado disso. A estrutura política e social continuou a ser semelhante, a escravidão, estrutura agrária e distribuição de renda também. Os que mais se beneficiaram com isso, foram a elite agrária, que era quem possui maior poder aquisitivo, e dava suporte a D. Pedro I.