O mal de Parkinson, é uma doença de ordem degenerativa cerebral, ou seja, ela age destruindo células do nosso cérebro, ocasionando então sintomas bastante característicos para a doença, sintomas motores e não motores. Conheça um pouco mais da doenças que ainda atinge diversas pessoas, principalmente em idades mais avançadas, e quais os tratamentos para esse tipo de doença são existentes.

Mal de Parkinson

O mal de Parkinson, é uma doença de ordem degenerativa cerebral, ou seja, ela age destruindo células do nosso cérebro, ocasionando então sintomas bastante característicos para a doença, sintomas motores e não motores. Conheça um pouco mais da doenças que ainda atinge diversas pessoas, principalmente em idades mais avançadas, e quais os tratamentos para esse tipo de doença são existentes.



Mal de Parkinson, também conhecido como a doença de Parkinson, como o próprio nome sugere, é uma doença que afeta o sistema nervoso central, debilitando a capacidade do nosso cérebro de controlar os movimentos corporais. O nome da doença foi criado em homenagem ao primeiro médico que descreveu a doença, o ilustre Dr. James Parkinson.
O cérebro é o órgão responsável não apenas pela parte mental do nosso corpo, como raciocínios e pensamentos, mas de diversas outras ações, como o ato de andar, de piscar os olhos, de falarmos, que, através de uma ordem enviada através do nosso Sistema Nervoso Central, fazendo de uso de neurotransmissores e sinapses cerebrais, chega a informação que desejarmos ao destino final, como nas ações citadas, os músculos.

O mal de Parkinson, causa a destruição dos neurônios dopaminérgicos, que são células cerebrais responsáveis pela produção de dopamina, que é um neurotransmissor que age no controle de movimentos finos e coordenados. Portanto, movimentos como pegar um copo e beber água fica comprometido, pois embora não pareça, essa ação de beber água requer movimentos musculares complexos.


Sintomas

O mal de Parkinson é caracterizado por apresentar dois tipos de sintomas, os chamados motores e os não motores.

Sintomas Motores

Tremores

A ocorrência dos tremores é maior quando o paciente se encontra em repouso, e nota-se uma melhora quando o mesmo movimenta o membro. Esta é uma característica bastante peculiar do mal de Parkinson.



No início da doenças, o tremor passa despercebido pela família pelo fato de não ser constante, com o passar dos anos da doença esse tremor se torna mais acentuado e começa a se espalhar para outros membros, ficando mais perceptível os tremores nas mãos, que com o agravo da doença se torna quase que contínuo.

Bradicinesia

A bradicinesia é o sintoma que mais debilita o paciente que possui o mal de Parkinson, pois ele se sente cansado, com fraqueza nos músculos e com sensação de desarmonia na coordenação motora, ou seja, tarefas simples do dia a dia se tornam árduas, tornando-se o paciente mais hesitante e descoordenado.

Rigidez

A rigidez é um sintoma importante da doença, em seu início ela é mais branda, ocorrendo apenas parcialmente, com o avanço da doença ela se torna mais generalizada, conferindo ao portador da doença a sensação que seus músculos estão presos ou amarrados.


Instabilidade postural

Em fases avançadas da doença, a capacidade de mantar a postura se torna algo quase que impossível, tendo como consequência para o portador da doença de Parkinson quedas constantes.

Sintomas Não-Motores

Os portadores da doença de Parkinson, além do desencadeamento de problemas motores, sofrem com o desenvolvimento de alterações neurológicas, como demência, alterações do sono, depressão, ansiedade, memória fraca, alucinações, psicose, perda do olfato, constipação intestinal, dificuldades para urinar, impotência sexual, raciocínio lentificado e apatia.

Outros sintomas

  • Perda expressão facial (expressão apática)
  • Redução do piscar dos olhos
  • Alterações no discurso
  • Aumento da salivação
  • Visão borrada
  • Micrografia (caligrafia altera-se e as letras tornam-se pequenas)
  • Incontinência urinária

Tratamento

O mal de Parkinson é uma doença que não tem cura, entretanto, o controle dos sintomas é feito com grandes sucessos nos dias de hoje, graças ao avanço contínuo da tecnologia aliada a medicina.

Durante o tratamento, uma das drogas que são ministradas é alevodopa + carbidopa (Sinemet), que é transformada em dopamina dentro do cérebro. Entre outros medicamentos usados para o tratamento dos sintomas da doença de parkinson são: bromocriptina, pramipexol e ropinirol.