Maria Gaetana Agnesi ficou conhecida por ser a primeira mulher a desenvolver uma obra matemática de alta qualidade, através de seus estudos e conhecimentos.

Maria Gaetana Agnesi

Maria Gaetana Agnesi ficou conhecida por ser a primeira mulher a desenvolver uma obra matemática de alta qualidade, através de seus estudos e conhecimentos.

Maria Gaetana Agnesi

Maria Gaetana Agnesi

Nascida em Milão em 1718, Maria Gaetana Agnesi era de família culta e rica. Seu pai, Pietro Agnesi, teve 23 filhos com 3 esposas, sendo Maria a primeira filha. Seu pai ofereceu-lhe boas condições de estudos, com os melhores professores e uma educação privilegiada. Essa educação de excelente qualidade possibilitou Maria adquirir bons conhecimentos em várias áreas, algo que não era comum entre as damas da época.

Seus feitos filosóficos e educacionais começaram cedo, logo aos 9 anos de idade, Maria publicou um discurso, em latim, que fazia defesa sobre o ensino de qualidade para as mulheres. Indo totalmente contra o pensamento da sociedade da época. Apesar da escrita ter sido apenas uma tradução de um texto originalmente escrito por seus tutores, a jovem o mostrou em público e não recorreu a leitura, mostrando toda a sua capacidade de explicação em uma audiência acadêmica.

Aos 13 anos, além de sua língua mãe, o italiano, e do latim, a jovem já sabia falar outras cinco línguas: espanhol, francês, alemão, grego e hebreu. Por isso, ficou conhecida como o O Oráculo das Sete Línguas. Com 15 anos, seu pai começou a introduzi-la nos círculos de intelectuais, onde todos ficavam admirados com seus conhecimentos em Física, Matemática e Filosofia.

Já em 1738, fez a publicação de uma série de estudos da filosofia, chamado Propositiones Philosophicae. Uma obra que contém 191 teses que Maria defendeu publicamente, a frente de convidados locais, nacionais e internacionais. Essa, assim como outras apresentações em pública, era fruto da vontade e convite de seu pai, que ela realizava mesmo sem gostar de falar em público.

Maria chegou a confessar ao pai que possuía o desejo de tornar-se freira, e logo seu pai pediu que muda-se de ideia, pois gostava da companhia da dela. Maria então aceitou, porém impôs três condições: vestir-se de forma humilde e simples, ir na Igreja sempre que achasse necessário, e não necessitar estar presente em teatros, festas e outros eventos considerados profanos.

Depois disso Maria concentrou seus esforços a estudar Matemática e Religião. Apesar de ter que aprender matemática quase que sozinha, Maria recebeu muita ajuda do professor Ramiro Rampinelli (professor de matemática da Universidade de Roma e Bolonha), que após chegar em Milão tornou-se frequentador assíduo de sua casa. Foi ele que auxilou Maria a estudar e entender os textos sobre Cálculos do matemático Reyneau.

Através do professor Ramiro, ela consegui contato com o também matemático Riccati, que ajudou na revisão da obra que viria a dar-lhe grande reconhecimento educacional, a obra Istituzioni Analitiche ad uso della Gioventù Italiana, publicada em 1748, em dois volumes. O tema das obras é dividido entre Cálculo Infinitesimal, Geometria e Álgebra. O surgimento desse livro provocou grande repercussão, por tratar-se de uma obra feita por uma senhora, e que mostrou-se muito bem desenvolvida e com questões que envolviam matemática difícil e profunda.

[youtube]jCreWUXf8C8[/youtube]

O sucesso tornou-se tão grande que a obra recebeu um comentário da Academia de Ciências de Paris:

“…Muita habilidade, como a autora demonstrou ter, foi necessária para reduzir e quase uniformizar os métodos que estas descobertas geraram ao longo dos trabalhos de matemáticos modernos, freqüentemente muito diferentes entre si. Ordem, clareza e precisão reinam em todas as partes deste trabalho… Nós o consideramos como o mais completo e melhor tratado já feito.”

A primeira parte de Istituzioni Analitiche fala sobre a análise de quantidades finitas, dos problemas elementares de mínimo e máximo, dos pontos de inflexão e tangentes. A segunda parte discute uma análise sobre quantidade infinitas pequenas. A terceira sobre Cálculo Integral e discussão geral sobre o estado do conhecimento. Na última o conteúdo é relacionado a método inverso das equações diferenciais e das tangentes. No volume 2 da obra está presente uma grande e boa discussão sobre a curva cúbica, conhecida também como Curva de Agnesi.

Em 1750, Maria Agnesi foi convidada para lesionar a cadeira de Matemática na Universidade de Bolonha. Porém, logo após a morte de seu pai, deixou de ensinar e recolheu-se ao convento, para dedicar-se ao tratamento de doenças graves. Maria ficou encarregada pela direção da instituição Pio Istituto Trivulzo, logo em sua abertura. Instituição essa que servia como casa para enfermos e doentes.

A contribuição matemáticas de maior importância de Maria Agnesi foi a primeira tradução francesa dos Principia de Newton, que foi publicada em 1756.

Maria sempre foi uma pessoa delicada e tímida, nunca quis tornar-se uma matemática famosa, ou gênia brilhante. Alguns dizem até que ela se interessou por matemática apenas para agradar a vontade de seu pai.

Em 1799, morreu com 81 anos, em seu hospital. Maria Agnesi ficou então conhecida por seu talento e inteligência, e foi a primeira mulher a demonstrar a matemática de forma clara e com conhecimentos e obras de alto nível, com texto de muita qualidade. Além de claro toda a sua dedicação a saúde, com cuidados e administração de uma instituição médica.