Revolta da Vacina - Resumo, causas e consequências

Atualizado em

Revolta da Vacina

O período, historicamente determinado, em que ocorreu a chamada Revolta da Vacina foi entre os dias de 10 e 16 de novembro de 1904 na cidade, atual metrópole do país, Rio de Janeiro.

Introdução ao Movimento

Grandes conflitos já assolaram as terras do Brasil em seus poucos anos, historicamente falando, e muitos desses conflitos ocorreram durante o período republicado, onde, no ano de 1904, uma delas ficou conhecida como Revolta da Vacina, devido a insatisfação da população com a imposição de uma campanha de vacinação obrigatória contra a varíola, fazendo-se uso da força para conseguir o objetivo do governo

Rio de Janeiro no início do século XX

Um fato que se perdura até os dias de hoje, e que assolava o Rio de Janeiro no início do século XX, era  a problemática relacionada as classes menos favorecidas. Não existia um sistema de saneamento básico para a população, o que desencadeava como consequência direta patologias como febre amarela, peste bubônica e a varíola.

O governo se viu então com a necessidade de tomar alguma providência a respeito dessa situação, foi quando o atual presidente da época resolveu promover a estruturação do saneamento básico, e também instituiu que o médico e sanitarista aliado do governo, Oswaldo Cruz, seria o chefe do Departamento Nacional de Saúde Pública, com o objetivo de melhorar as condições sanitárias da cidade.

Vacinação Obrigatória

Com a intenção de combater as doenças oriundas da falta de saneamento, foi criada a campanha de vacinação obrigatória, intenção de aspecto positivo, porém, revoltou a população a maneira como essa vacinação era imposta, com violência e até invasão de casas pelos agentes sanitários.

Revolta Popular 

A manifestação da população aumentava a cada dia, agregada a questão da crise econômica (desemprego, inflação e alto custo de vida) e a reforma urbana que retirou a população pobre do centro da cidade, derrubando vários cortiços e outros tipos de habitações.

A manifestação se espalhou rapidamente pelas ruas da antiga capital do Brasil. Houve como consequência das manifestações a  destruição de bondes, apedrejamento de prédios públicos e espalharam a desordem pela cidade. Em 16 de novembro de 1904, o presidente Rodrigues Alves revoga a lei da vacinação obrigatória, colocando nas ruas o exército, a marinha e a polícia para acabar com os tumultos.  Pouco tempo depois a cidade do Rio de Janeiro volta ao seu cotidiano normal.