A ANATEL monitorou todas as ligações no Brasil e o relatório acusa a TIM de derrubar de forma proposital as chamadas de usuários do plano Infinity, no qual o cliente paga por chamada efetuada independente do tempo.

TIM derruba ligações de propósito

A ANATEL monitorou todas as ligações no Brasil e o relatório acusa a TIM de derrubar de forma proposital as chamadas de usuários do plano Infinity, no qual o cliente paga por chamada efetuada independente do tempo.



A Agência Nacional de Telecomunicações divulgou um relatório que acusa a TIM de interromper as chamadas feitas pelos clientes do plano Infinity. O documento aponta que o índice de queda das ligações dos usuários do plano é quatro vezes maior que os demais clientes de outros planos da TIM.

Sob os pontos de vista técnico e lógico, não existe explicação para a assimetria da taxa de crescimento de desligamentos quedas de ligações] entre duas modalidades de planos.diz o relatório

Alto faturamento com a falha

O relatório mostra que, somente no dia 8 de março, a TIM gerou um faturamento de R$ 4,3 milhões com ligações interrompidas que os usuários voltaram a discar o mesmo número. A TIM relatou ao Ministério Público que a instabilidade do sinal era “pontual” e “momentânea”.


O documento da ANATEL ainda diz que a TIM adulterou a base de cálculos para ficar dentro dos padrões exigidos. A ANATEL afirma que a TIM excluiu do universo de ligações milhares de usuários com problemas. A agência afirma, por exemplo, que a TIM considerou como completas ligações que não conseguiram linha e que os usuários, posteriormente, ainda receberam SMS informando que o número discado já estava disponível.

Nova proibição

O relatório, feito entre março e maio, foi entregue ao Ministério Público do Paraná. Com base nos dados coletados em todo o Brasil, o Ministério Público do Paraná pediu novamente que a venda de chips da TIM fosse no Estado e que os clientes prejudicados no Paraná sejam ressarcidos. A TIM ainda deverá pagar uma indenização por dano moral coletivo.



No final de julho a TIM e outras empresas de telefonia já haviam sido proibidas de vender novos planos.