A construção da Usina de Belo Monte está cercada de polêmicas e protestos, apesar de sua construção ser inevitavelmente um potencial energético que gerará milhares de Watts de potência e ainda empregos de forma direta e indireta, os entraves ambientais merecem toda a atenção da sociedade.

Usina de Belo Monte – Informações

A construção da Usina de Belo Monte está cercada de polêmicas e protestos, apesar de sua construção ser inevitavelmente um potencial energético que gerará milhares de Watts de potência e ainda empregos de forma direta e indireta, os entraves ambientais merecem toda a atenção da sociedade.



A Usina de Belo Monte é uma central hidrelétrica que está para ser construída no Rio Xingu, no estado do  Pará,  bem próximo da cidade de Altamira. A usina de belo monte está cercada de polêmicas acerca da questão ambiental. A construção da Usina será sem dúvidas de grande valia em termos energéticos para o Brasil, mas será que esse progresso vale o detrimento da natureza?

Belo Monte em Números

  • Alguns números sobre a construção de belo monte são de extrema importância, tais como:
  • Sua potência instalada será de 11.233 MW
  • deverá produzir efetivamente cerca de 4.500 MW (39,5 TWh por ano) em média ao longo do ano
  • Em potência instalada, a usina de Belo Monte será a terceira maior hidrelétrica do mundo, atrás apenas da chinesa Três Gargantas (20.300 MW) e da brasileira e paraguaia Itaipu (14.000 MW)
  • O lago da usina terá uma área de 516 km²[2] (1/10.000 da área da Amazônia Legal), ou seja 0,046 km² por MW instalado e 0,115 km² por MW efetivo
  • Seu custo é estimado em R$ 19 bilhões (2010),[7] ou seja R$ 1,7 milhões por MW instalado e R$ 4,3 milhões por MW efetivo. O leilão para construção e operação da usina foi realizado em abril de 2010 e vencido pelo Consórcio Norte Energia com lance de R$ 77,00 por MWh
  •  O contrato de concessão foi assinado em 26 de agosto do mesmo ano e o de obras civis em 18 de fevereiro de 2011.[1] A usina está prevista para entrar em funcionamento em 2015.[8]
  • O patrocínio da Norte Energia foi de R$ 2,6 milhões para a Operação Cidadania Xingu realizada nos 11 municípios da área de influência de Belo Monte

Polêmicas sobre a Construção da Usina de Belo Monte

As opiniões sobre a construção da Usina de Belo Monte são bastantes conflitantes. As organizações sociais estão convictas de que o projeto está recheado de grandes problemas e de fissuras em sua formação.
O movimento que é contrário à obra, composto por ambientalistas e acadêmicos, defende que a construção da hidrelétrica irá provocar a alteração do fluxo natural de escoamento do ria Xingu, afetando a flora e fauna em diversos locais e ainda acarretando impactos socieconômicos.
Outro argumento é o fato de que a obra irá inundar permanentemente os igarapés Altamira e Ambé, que cortam a cidade de Altamira, e parte da área rural de Vitória do Xingu.
A alteração da vazão do rio (necessária a construção de uma hidréletrica), segundo os especialistas, altera todo o ciclo ecológico da região afetada que está condicionado ao regime de secas e cheias.De resto, as análises sobre o Estudo de Impacto Ambiental de Belo Monte feitas pelo Painel de Especialistas, que reúne pesquisadores e pesquisadoras de renomadas universidades do país, apontam que a construção da hidrelétrica vai implicar na geração de um caos social que seria causado pela migração de mais de 100 mil pessoas para a região e pelo deslocamento de maneira forçada de mais de 20 mil pessoas.


Preservação de Área Indígena ( O Lado Contrário)

Segundo os responsáveis pela Construção de Belo Monte, dizem que  projeto prevê realocação de cerca de cinco mil famílias que vivem hoje em situação precária, em Altamira, grande parte delas morando em palafitas e sem acesso aos serviços básicos de saneamento. Essas famílias serão transferidas para outra área, onde a Norte Energia construirá casas de alvenaria, com saneamento básico e energia elétrica. A remoção dessas famílias para outra área é uma das 40 condicionantes colocadas pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a concessão da licença de instalação da UHE Belo Monte.